fbpx

Skip links

Serviços de pagamentos eletrónicos têm novas regras, a pensar na segurança

Serviços de pagamentos eletrónicos têm novas regras, a pensar na segurança

Desde 14 de setembro, que os utilizadores veem novas regras de segurança na utilização das operações bancárias por via eletrónica, passando a ser mais seguras.

Sabe o que é a “autenticação forte”? 

Se não sabe, vai ficar a saber porque a partir de agora é obrigatória em várias operações bancárias. As cadernetas deixam de permitir levantamentos ou transferências de dinheiro e, pela mesma razão — porque são facilmente clonáveis –, também as bandas magnéticas vão desaparecer, só restando o chip como alternativa viável. Mas não há alterações na utilização de cartões multibanco ou de crédito.

As novas regras, impostas pela diretiva comunitária de pagamento (DSP2 na sigla em inglês), e por isso comum aos países que integram a União Europeia, pretendem tornar os pagamentos mais seguros, nomeadamente quando os particulares acedam à sua conta de pagamento por via online, quando realizam operações de pagamento eletrónico, e ainda quando realizam uma ação, através de um canal remoto, como levantamentos de dinheiro através de uma aplicação (app) para telemóveis. Na prática, todas as operações bancárias que possam envolver risco de fraude nos pagamentos ou outros abusos.

A autenticação forte implica que os prestadores de serviços de pagamento/bancos, solicitem ao cliente dois ou mais elementos pertencentes às categorias de “conhecimento”, “posse” e “inerência” – uma palavra-passe, o envio de um código por sms para o telemóvel do utilizador, e uma impressão digital são exemplos, respetivamente, destas três categorias.

Esta ação já era realizada pelos prestadores de serviços de pagamento/bancos em algumas situações específicas, mas, a partir de agora, passa a ser obrigatória para a generalidade das operações eletrónicas.

A indicação dada pelo Banco de Portugal é que os clientes devem informar-se junto do seu banco/prestador de serviços sobre os procedimentos a adotar para continuarem a aceder online à sua conta e a autorizar operações de pagamento eletrónicas.  Além de ser importante garantir que estão atualizadas a informação pessoal e os dados de contacto.

 

Gostava de Receber o Decreto-Lei n.º 91/2018? 

Download

Produtos Relacionados

Return to top of page